Qualidades de um bom pregador

Qualidades do pregador

Aquele que é chamado por Deus para proclamar o Evangelho deveria destacar-se como o homem  mais importante na sua comunidade, e tudo quanto fizesse para Cristo e para a Igreja deveria manifestar-se na Sua pregação”. (A Preparação de Sermões, pág. 15)

QUALIFICAÇÕES ESSENCIAIS


1. Caráter - O pregador deve ser dotado de qualidades morais de honestidade, critério e integridade, a fim de que suas palavras e ação mereçam crédito e possam comunicar com sinceridade ao auditório, a verdade, o bem e o belo.

  a) O poder do orador, principalmente, está em ele ser aquilo que fala ou prega.

  b) Os seus ouvintes devem crer que ele crê naquilo que está falando.

  c) Deve colocar o corpo, a alma, os bens e a reputação, no que fala.

2. Satisfação – O púlpito deve ser um lugar de conforto, uma fonte de otimismo para os seus devotos. O homem do púlpito deve ter satisfação e sentir, grande gozo em ser um porta voz divino, a fim de que seus ouvintes sejam contagiados por este gozo.

3. Coragem – É uma qualificação indispensável para um bom pregador; pois um pregador tímido é semelhante a um médico tímido com o seu bisturi na mão.


a) Atos 4:13 e 29

4. Saúde - Um pregador, além de excelentes condições espirituais, também deve ter boas   condições físicas. Um pregador que está doente os seus olhos não tem a luminosidade que comunica favoravelmente.

O homem deve ir ao púlpito descansado, com os nervos plenos de vida e todo o sangue pulsando nas veias.

a) O que fazer antes do sermão:

1) Evitar um trabalho pesado.

2) Dormir bem, de preferência às 8:horas., recomendadas.

3)Comer moderadamente e comida leve antes do sermão.
   
4) Não gastar a sua vitalidade com conversas inúteis.
   
5) Controle emocional.
   
6) Concentração na mensagem.

5. Voz Adequada

Dentre os atributos do pregador, a voz ocupa lugar preponderante. O mais belo pensamento, a emoção ou o afeto mais sincero perde a expressão se, para isto, o pregador ou a pessoa que fala não tem a voz adequada.

a) A voz humana, como um instrumento de música tem seus órgãos de fonação, articuladores e ressonadores que modificam e ampliam os sons emitidos.

b) Além de alcançar a maior distância possível o orador deve ter modulação, sonoridades e suavidade na voz, sem cansar e menos ainda sem prejudicar seu órgão vocal.

c) Ele precisa saber modular-lhe as condições de altura, volume ou intensidade, tempo ou velocidade, de acordo com o sentido e interpretação dos textos que contém as ideias e os sentimentos que cumpre externar de maneira singela ou displicente, apaixonada ou enfática.

d) Daí a necessidade de todo aquele que se interessa pela pregação procurar o estudo da voz, mormente no que concerne à respiração e à dicção.

e) A perfeita emissão da voz depende da boa respiração.Exercícios respiratórios são recomendáveis não só porque favorecem a voz, dando maior regularidade à expiração do ar pela boca, se não também, porque provocam relaxamento muscular muito benéfico quando se trata de inibição ou do “medo oratório”.
    
f) “Os ministros devem-se manter eretos, falar devagar, com firmeza e distintamente, inspirando profundamente o ar a cada sentença e emitindo as palavras com o auxílio dos músculos abdominais... O peito torna-se-á amplo, e... O orador raramente fica rouco, mesmo falando continuamente”. (Evang. Pág. 669 e 670)

g) “Alguns destroem a impressão solene que possam haver causado no povo por elevarem a voz demasiado alto, proclamando a verdade com brados e gritos... Esse gritar, porém, que faz? Isto não dá ao povo nenhuma ideia mais exaltada da verdade, nem os impressiona mais profundamente. Causa apenas uma sensação de desagrado nos ouvintes e fatiga os órgãos vocais do orador”. (Evang. Pág. 666 e 667)

h) “Quando eu era mais moça, costumava falar demasiadamente alto. O Senhor mostrou-me que não poderia causar no povo a devida impressão elevando a voz a um tom fora do natural. Foi-me então apresentado Cristo e Sua maneira de falar, e havia a suave melodia em Sua voz. Esta, lenta e calma, chegava aos que o escutavam, e Suas palavras penetravam-lhes no coração, e eles podiam apanhar o que fora dito antes de ser proferida a sentença seguinte”. (Evang. Pág. 670).

OUTRAS QUALIFICAÇÕES


1. BOA APARÊNCIA – Vários são  os fatores que concorrem para a boa aparência do orador. Dentre eles notam-se: O aspecto físico, a postura, o andar, os gostos, a expressão fisionômica e a indumentária.

a) A presença do orador deve revelar personalidade agradável, simpatia pessoal, educação e boa disposição.

b)O andar deve ser pausado  e elegante, sem afetação. Dele o orador se vale durante o discurso ou sermão para quebrar a possível monotonia, dando uns passos para os lados ao terminar certos períodos longos, ao mudar de voz em sua mensagem, etc. O exagero nesses movimentos torna-se,porém, condenável.

c) A indumentária deve condizer com a hora, o local e a espécie de auditório. O traje, cuidado e confortável, aliado ao bom aspecto físico do orador, garante a boa impressão que dele esperam colher os seus ouvintes.
d) “Cumpre-nos apresentar propriedade no vestuário e na conduta... O caráter de uma pessoa é julgado pelo aspecto de seu vestuário... Nosso vestuário deve ser simples, de maneira que ao visitarmos os pobres, eles não fiquem embaraçados pelo contraste entre nossa aparência e a deles   (Evang. 672, 673)

e)“Nossas palavras, atos, comportamento, vestuário, tudo deve pregar. Não somente com as palavras devemos falar ao povo, mas tudo quanto diz respeito a nossa pessoa deve constituir para eles um sermão. (Evang. Pág. 671)

2. GESTICULAÇÃO MODERADA


a) O dicionário define “gesto” como “movimento do corpo, principalmente dos membros ou da cabeça,feito com o fim de exprimir um pensamento, um sentimento, uma intenção”.

b)A gesticulação é a moldura que aplica à manifestação oral, para se reforçarem períodos, sublinharem-se vocábulos, dando ao discurso maior expressividade.

d) É o gesto a própria palavra que se repete, ou se antecipa enfaticamente.
1. Há suavidade nas mãos colocadas em prece.
2. Há rancor nos dedos que se contraem.
3. Os braços abertos indicam acolhida.
   
4. O indicador que aponta, pode ser advertência.

e) os gestos devem ser espontâneos naturais. Não devem ser “fabricados”. Provêm naturalmente do interior, da convicção dos sentimentos. Devem ser variados. A repetição exagerada de determinados gestos atrai a atenção indevida ao pregador.

f) Devem ser apropriados. Não devem ser exagerados. São usados para expressar-se melhor e não  para exibição própria.

g) A gesticulação não precisa e nem deve ser constante. No entanto, devemos lembrar que “um ser sem paixão, sem vida e sem expressão é como um candeeiro apagado; não produz fumaça, mas também não alumia”. (A.C. Castells)

h) Para desenvolver coordenadamente a gesticulação, o orador deve ler em voz alta algumas frases que tenham sentido, aplicando a cada uma delas os gestos que a significação e expressão indicam. Exemplos:

1) “Não há no mundo país mais belo do que o Brasil.”

2) “Apelo para os senhores em nome de Cristo que por nós morreu na cruz.”

3) “para, meu irmão! Já fostes longe demais. É hora de voltar!”

4) “Arrependei-vos! E cada um de vós seja batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”

i) O que o pregador não deve fazer:

1) Não deve colocar as mãos ou a mão nos bolsos da calça ou paletó.
2) Não deve ficar o tempo todo com o dedo indicador em forma acusadora.

3) Não deve dar socos na mesa.

4) Não deve ficar abotoando e desabotoando o paletó.

5) Não deve ficar arrumando a gravata.

6) Não deve alisar os cabelos a todo instante.

7) Não deve brincar nervosamente com a gola do paletó.

8) Não deve ficar pondo e tirando o relógio.

9) Não jogar a Bíblia sobre o púlpito depois de lida.

10) Finalmente, os gestos devem ser moderados, sóbrios, naturais, oportunos e elegantes, fazendo parte de um estado de expressão que parte do interior da alma.

CONCLUSÃO


1) O pregador de êxito deve desenvolver qualificações positivas e essenciais que o habilitem a ser um verdadeiro porta-voz dos céus.
    
2) Caráter, satisfação, coragem, saúde, voz adequada, boa aparência e gesticulação moderada são  atributos indispensáveis e que devem ser cultivados.

3) Que cada  pregador interesse-se mais e mais no progresso das características que o farão arauto do Evangelho.


EmoticonEmoticon